ARTIGOS

Comportamento do ar dentro do seu galpão

19

outubro

Como compreender o comportamento do ar dentro do seu galpão para reduzir custos

 

Compreender o comportamento do ar dentro de um galpão industrial é o primeiro passo para fazer um projeto de ventilação natural bem-sucedido, a exemplo das venezianas e lanternins do Grupo MB. Diversos fatores influenciam nesse comportamento, como a posição da edificação em relação ao vento e ao sol, a velocidade do vento no interior do recinto e a dimensão das portas e janelas existentes.

Ter o conhecimento exato sobre a circulação do ar é o que permitirá dimensionar corretamente os sistemas de ventilação natural, de modo a usufruir ao máximo dos benefícios da estrutura. O conforto térmico é o ganho imediato, o que interfere diretamente na produtividade dos colaboradores. Em médio e longo prazo, haverá também uma redução significativa com os custos de energia elétrica. Continue a leitura e entenda como funciona!

 

Como o ar se comporta no interior do galpão?

Dentre as soluções disponíveis no mercado para implementação de ventilação natural em galpões industriais, o Lanternim é uma das mais utilizadas. O funcionamento deste produto se baseia nas diferenças de temperatura e densidade do ar no ambiente. Assim, para compreender o comportamento do ar no galpão, considere a ocorrência dos efeitos chaminé e Venturi

No primeiro caso, o efeito é resultante do deslocamento do ar em virtude das diferenças de temperatura e pressão. O ar frio fica mais compacto e mais denso, por isso, tende a descer. O ar quente, por sua vez, tende a subir e a se expandir para altitudes maiores. Dessa forma, enquanto é deslocado pelo ar frio que entra pelas portas, janelas e demais aberturas do galpão, o ar quente escapa pelo Lanternim, favorecendo a circulação e mantendo o conforto térmico no recinto.

Já o efeito Venturi ocorre nas entradas e saídas do Lanternim, maximizando a circulação do ar devido ao estreitamento da tubulação que faz com que a velocidade do fluido que será expulso na parte superior aumente. Isso otimiza o efeito de exaustão e contribui para deixar o local termicamente mais agradável.

Outro parâmetro que deve ser utilizado na implantação dos lanternins é a taxa ideal de renovação de ar por hora no recinto. Esse cálculo estabelece que, por meio de recursos de ventilação, o galpão deverá trocar todo o ar interno um determinado número de vezes a cada hora. Ter essa noção é essencial para garantir os níveis de salubridade na fábrica e evitar a propagação de diversas doenças respiratórias, como a Covid-19.

Para fazer esse cálculo é preciso considerar as dimensões do galpão (volume total) e as aberturas para entrada e saída de ar (portas e janelas), o que dará uma ideia sobre a vazão por segundo no ambiente. A partir daí, será possível definir o tempo necessário para que o ar do recinto saia pelo Lanternim e seja completamente renovado, além de quantas vezes por hora isso deve ocorrer.

 

Como o CFD auxilia no projeto de ventilação natural industrial?

 

Fazer o cálculo da renovação de ar manualmente leva mais tempo e demanda atenção extra dos engenheiros para evitar erros ou negligências, o que dificulta o trabalho e pode gerar atrasos na instalação dos sistemas de ventilação natural. É aí que entra o Computational Fluid Dynamic (CFD), uma metodologia da Engenharia Computacional que funciona como uma calculadora de fluidos.

Essa ferramenta otimiza a elaboração dos projetos de ventilação natural ao evidenciar com clareza o comportamento do ar naquele ambiente. O CFD opera por meio da realidade virtual, na qual os dados reais do galpão são inseridos em uma malha 3D que valida os cálculos necessários para a criação de uma estrutura eficiente, permitindo melhorar continuamente o sistema através das simulações.

Ou seja, dá para testar diferentes possibilidades de ventilação a partir do modelo computacional e, então, aplicá-lo com mais assertividade na fábrica. Isso acelera a instalação do Lanternim, e evita o risco de retrabalho, o que traria frustração e prejuízos para os gestores. Afinal, a intenção com um projeto de ventilação natural é, antes de tudo, reduzir custos e tornar o ambiente mais saudável.

Sem falar no elevado patamar de sustentabilidade que a indústria atinge ao instalar sistemas de ventilação natural de alta performance. Hoje em dia, esse é um dos aspectos que mais favorecem a imagem de uma marca no mercado, visto que as práticas ecológicas contribuem não só para a preservação dos recursos do planeta, mas, também, para a qualidade de vida da população em geral.

No ambiente fabril, esse resultado é imediato e pode ser sentido na pele, já que a temperatura no interior do galpão ficará bem mais agradável, evitando problemas como desidratação e perda de foco no trabalho. A qualidade do ar também melhora significativamente, pois a renovação será constante. Isso justifica o custo-benefício da instalação e traz o retorno que sua indústria precisa.

Se você tem interesse na solução, faça um orçamento com quem entende do assunto e veja como podemos ajudar!

Aceitamos Cartão BNDES

Solicite seu orçamento: resposta em até 3 dias úteis.